Seg. a Sex.: 07h30min-19h30 | Sáb: 07h30min-12h

(51) 2125-0505
(51) 2125-0505
Av. Cristóvão Colombo, 1691 - , Porto Alegre - RS
Seg. a Sex.: 07h30min-19h30
Sáb: 07h30min-12h

Para efetuar um pré-agendamento preencha seus dados. Nossos atendentes entrarão em contato.

Blog Mulher&Saúde

EXISTE RELAÇÃO ENTRE MAMOGRAFIA E CÂNCER DE TIREOIDE? DRA. BEATRIZ BOHRER DO AMARAL

Uma mensagem veiculada na internet, resultante de um relato errôneo da mídia americana, aumentou a preocupação de inúmeras mulheres de que a pequena radiação a que uma paciente é exposta durante a mamografia aumentaria de modo significativo a chance de desenvolver câncer de tireoide. É preciso esclarecer que esta preocupação não tem nenhum fundamento na literatura científica.

A dose de radiação na tireoide durante a mamografia é extremamente baixa. A tireoide não é diretamente exposta ao feixe de raios-X utilizado para o exame da mama e recebe apenas uma mínima quantidade de radiação espalhada, menos que 0,005 milligray. Isto é equivalente a apenas 30 minutos de radiação proveniente das diferentes fontes da natureza a que todos nós estamos expostos diariamente.

Considerando a mamografia anual dos 40 aos 80 anos, o risco de câncer de tireoide resultante desta mínima quantidade de radiação espalhada seria incrivelmente baixo: menos que 1 em 17, 1 milhões de mulheres examinadas.

O uso de protetor de tireoide para evitar este risco mínimo pode interferir com o posicionamento ideal da mama e resultar em artefatos, prejudicando a imagem da mamografia e o diagnóstico. Portanto, o protetor de tireoide durante a mamografia não é recomendado.

As mulheres não devem deixar de realizar a mamografia anual, que permite diagnosticar precocemente o câncer de mama e salvar vidas, baseadas neste relato incorreto veiculado pela mídia digital.


Voltar

Buscar

Histórico